Paola Carosella expõe agressividade e manipulação do ex-marido: ‘Me sentia mal’

Paola Carosella afirmou nesta quarta-feira (13) que terminou seu casamento de oito anos com o fotógrafo Jason Lowe, em outubro do ano passado, porque ele se incomodava com seu sucesso e tinha atitudes agressivas. “Esse incômodo chegava a mim na forma como ele se expressava, de uma maneira meio manipuladora, sabe? Que fazia eu me sentir mal”, disse a ex-jurada do MasterChef Brasil (Band).

“Eu faço muitas coisas e eu gosto muito das coisas que eu faço e eu acho que isso incomodava muito ele. Ele não falava isso, mas esse incômodo chegava a mim na forma como ele se expressava, de uma maneira meio manipuladora, sabe? Que fazia eu me sentir mal por aquilo e eu me via numa situação em que eu tinha que falar para mim mesma ‘espera aí, o que eu fiz de errado?'”, disse a chef de cozinha à revista Boa Forma.

Paola contou que o fim da relação não aconteceu de repente. O casal se esforçou para combater a crise no casamento durante dois anos, até que a chef deu um basta na situação. “Chega um ponto em que a gente tem que se perguntar até onde você tem que lutar por um relacionamento, até onde vale a pena sofrer?”, questionou.

“Fiz tudo que estava ao meu alcance e mais. E eu sei disso por minha experiência e por testemunhas, pessoas que acompanharam esse processo e que uma hora até me falaram ‘acho que você já fez tudo que podia’. Eu acredito que ele também fez tudo que podia e tudo que estava ao alcance dele, mas tinham algumas coisas que eram muito difíceis de lidar”, completou.

Como fator principal para o divórcio, a cozinheira de 49 anos afirmou que o ex-marido irlandês não lidava bem com sua ascensão à fama. Paola revelou que Lowe tinha dificuldades com a língua portuguesa e que este obstáculo o impedia de arranjar trabalhos na pandemia. Ela tentou entender o lado do fotógrafo, mas, aos poucos, passou a questionar os esforços do antigo parceiro.

“É muito difícil para um homem aceitar o sucesso de uma mulher, e você vai criando desculpas pela pessoa porque você ama ela, ‘putz, é difícil para ele porque ele não trabalhou durante a pandemia’, ‘é difícil porque ele não é brasileiro e não fala português’. Só que eu também não sou brasileira e fiz um esforço para falar”, desabafou a argentina.

“Mas você vai tentando entender onde o outro está para ver como você pode ajudá-lo. Só que chega um momento em que você fez de tudo para ajudar a pessoa a lidar com aquilo e o próximo passo seria você se limitar para não incomodar o outro. E eu sou feliz comigo mesma e trabalhei muito para a minha felicidade”, disse.

Paola encerra a entrevista ao reivindicar sua felicidade com lembranças da juventude. “Eu não nasci em um berço feliz, com uma família feliz, não tive uma adolescência e uma juventude feliz. Pelo contrário, eu trabalhei muito pelas minhas conquistas. Eu tenho todo direito de ser feliz sem empecilhos. Eu não quero deixar de ser feliz para fazer espaço para o outro.”

Não se esqueça de curtir nossa página no Facebook para mais notícias do BAC NEW

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s