Marília Mendonça: Laudo aponta que todos morreram com a queda do avião

A Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta quinta-feira (25) que Marília Mendonça (1995-2021) e os outros quatro tripulantes da aeronave que caiu em Caratinga (MG) morreram instantaneamente. As autoridades deram uma entrevista coletiva para informar que todas as vítimas sofreram politraumatismo na tragédia ocorrida em 5 de novembro. 

Além da cantora sertaneja, estavam no voo o piloto Geraldo Medeiros, o copiloto Tarciso Viana, o produtor Henrique Ribeiro (conhecido como Henrique Bahia) e o tio e assessor da artista, Abicieli Silveira Dias Filho. Todos tiveram politraumatismo contuso no acidente, de acordo com o médico-legista Thales Bittencourt de Barcelos. 

Segundo ele, todos os ocupantes morreram com o choque da aeronave com o solo, já que bateram as cabeças e os corpos com o impacto. “Os trabalhos de necrópsia foram finalizados. Em ocasiões anteriores já havia sido explanada a presença de indicadores de politraumatismo contuso em todos as vítimas”, começou o agente. 

Barcelos explicou que foram analisadas amostras do piloto e do copiloto para identificar se eles teriam algum problema de saúde, ou se haviam ingerido substâncias tóxicas ou alcoólicas, em busca de descobrir qualquer fator que pudesse ter contribuído para o acidente. Todas os testes deram negativo. 

“Por segurança, o médico-legista coletou material para exames complementares que são realizados na capital, no Instituto Médico Legal em Belo Horizonte. Esses exames se prestam a identificar eventuais outras causas que poderiam contribuir de alguma forma com óbito. São exames toxicológicos, alcoólicos e exames anatomopatológicos, que são aqueles realizados em tecidos, como fragmentos de pulmão, de coração, de cérebro”. 

“Busca-se identificar uma eventual outra doença que a vítima possa ter e eventualmente ter associação com o óbito. Todos os exames dos tecidos vieram negativos para outras enfermidades que pudessem contribuir para a morte. Os exames de tecido confirmaram os traumas sofridos por todas as vítimas”, continuou ele. 

“Os exames toxicológicos e alcoólicos também não apontaram nenhum tipo de consumo de substância ou intoxicação que pudessem contribuir com os óbitos. Dessa forma, a conclusão final dos óbitos será por politraumatismo contuso para todas as cinco vítimas desse acidente aéreo”, concluiu o médico-legista. 

Em seguida, o delegado Ivan Lopes Sales, que comanda as investigações sobre o acidente, avisou que a polícia segue firme com a tese de que a aeronave caiu apenas porque batera em fios de alta tensão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). 

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) abriu uma investigação para apurar se a instalação de torres de distribuição da Cemig em Caratinga, é regular. 

A possibilidade de pane nos motores ainda não foi descartada, mas depende da investigação do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). 

Morte de Marília Mendonça 

Marília Mendonça morreu aos 26 anos após a queda do avião em que estava na cidade de Caratinga, Minas Gerais, em 5 de novembro. A cantora deixou um filho, Léo Mendonça Huff, de um ano e 11 meses, fruto de seu relacionamento com Murilo Huff.

Não se esqueça de curtir nossa página no Facebook para mais notícias do BAC NEWS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s